quarta-feira, fevereiro 18, 2009

há umas semanas escrevi isto e enviei para a minguante. como boa revista que é, a minguante não publicou esta treta.


baltazar tinha tanto azar na vida como no nome.

em jovem sonhava ser futebolista. entrou em campo com o pé direito. saiu lesionado.

mais tarde quis ser actor. os colegas desejavam-lhe muita merda, mas sempre depois da actuação.

estava tão convencido do azar com que tinha sido baptizado que se suicidou naquela quinta-feira 12.

9 Comments:

zé luís said...

Eu, se fosse a minguante, também não publicaria. Contém a palavra merda, que é uma palavra muito, muito feia.

hmbf said...

Fizeram mal. Eu pulicaria.

hmbf said...

Apesar da primeira já ter sido escrita anteriormente, pelo menos, por mim.

João Gaspar said...

a primeira quê? a primeira frase?

é bom ser plagiador se fores tu o plagiado.

hmbf said...

Baltazar foi nome de personagem de uma noveleta que em tempos tentei escrever. Há quem diga que a acabei, mas eu prefiro dizer que acabei com ela. Já não a guardo no blog, mas ainda guardo o que então escrevi em documentos perdidos algures nos arquivos do computador. A frase não era exactamente essa, mas a ideia era a mesma. E a noveleta começava exactamente por aí.

Cazarim de Beauvoir said...

direitos autorais à parte, acho digno o fim de baltazar: era capaz que na sexta-feira treze algo saísse errado e o suicídio não vingasse.

PDuarte said...

ó onomatopeia estranha, eu meto os tomates no cepo em como o João não copiou nada.
o facto de o nome da personagem ser o mesmo quer dizer que o rapaz plagiou?
estás aqui estás a acusar os pais daquele juiz espanhol que até faz aqui falta como o caraças, de terem lido a tua noveleta e de terem te copiado o nome.
ora sim senhor.

João Gaspar said...

eu meto os tomates no cepo em como o henrique não está a acusar de nada.

e beijo-te os tomates, ó duarte, por me estares aqui a defender. um deles, vá. o esquerdo.

hmbf said...

Eu, como não tenho tomates, meto o rabo entre as pernas e deixo as paranóias a falarem sozinhas. Abraço ao Gaspar.