domingo, novembro 19, 2006

pequeno ensaio sobre o inverno

gosto de chuva. mais do que gostar de chuva gosto dos dias com chuva. daqueles dias com tanta chuva que se chamam dias de chuva. sim, é dos dias de chuva que gosto.
não gosto de vento. o vento despenteia-nos a alma, desconsola-nos o sorriso, desequilibra-nos os passos e entorta-nos o caminho.
tolero o frio. sorrio-lhe até se ele quiser. o frio lembra-nos que é preciso sobreviver. que temos que nos juntar para aquecer. aproxima-nos. mas o vento separa-nos. o vento traz-nos o ruído desconcertante do céu a bradar.

já a chuva não. a chuva tem ritmo. a chuva traz-nos a música das nuvens direitinha pela janela adentro. a chuva torna o silêncio da noite menos solitário.
a chuva torna-nos mais iguais, mais pequenos e mais humanos.

mas a grande vantagem de estar de chuva é que os dias se tornam deprimentes.
e aquelas pessoas irritantes que durante todo o dia não se calam, andam agora cabisbaixas, deprimidas, taciturnas, tristes e caladas.

5 Comments:

red^mosquito said...

menos a florbela..

joao said...

mas essa desliga-se com um botão vermelho do telecomando. ou no meu caso, com um içar de cú...

agora as do dia a dia / cara a cara, chiça...

M.Ferreira said...

A sério:uma bonita reflexão sobre os dias cinzentos que nos povoam a alma.
A brincar: não gosto da chuva porque a estrada para S. Romão fica cortada e demoro mais tempo a chegar a Évora.E tive de de comprar escovas novas.Caras.Não dói mas aborrece.

Rachel said...

até queria comentar que gostei do rascunho... mas há pessoas que não sabem estar e só dizem asneiras...

M.Ferreira said...

Eu também gostava de comentar mas com tanta asneira já nem tenho vontade, francamente gonçalo!