terça-feira, fevereiro 27, 2007

contrariando meio mundo

tenho a dizer que aquela fantochada que se passou ali no teatro da kodak não teve jeito nenhum.

primeiro porque a apresentadora passou a noite a lembrar-me como tinha sido refrescante o humor ácido do jon stewart no ano passado. não é que tenha estado mal, mas não marcou a diferença que devia. não fica para a história por isso deve lá voltar para o ano.
segundo porque depois de dois ou três anos a dar os óscares a quem merece lá voltou a lei das compensações para o scorcese não chorar outra vez. venceu pelo cansaço. e se o querem compensar têm que lhe dar o óscar por mais alguns anos mesmo que o homem não faça filme nenhum. estão a dever-lhe, contas por alto, cinco ou seis óscares. não esquecer que, como medida de retaliação, o senhor já tinha feito o pior e mais entediante (e mais difícil de suportar num cinema) filme da década, o aviador. por isso se calhar até já estávamos todos quites.
e principalmente porque ganhou o departed. e o pior não é ter ganho o departed. a questão é que o departed ganhou porque os americanos não perdoaram o clint por o lado japonês ser (propositadamente, arrisco) um melhor filme do que o lado americano. e porque não iam dar (ainda) o óscar ao mexicano. se bem me lembro o babel (para além da incomunicabilidade e do mosaico) goza descaradamente com o histerismo americano face ao terrorismo. e quer-me parecer que isso não é muito apelativo aos senhores velhotes da academia. digo eu.
os momentos musicais da cerimónia foram, e não há maneira simpática de o dizer, uma seca.
e depois o al gore, já me esquecia. mais o hipocrisismo reinante por todos os pseudopreocupados pelo nosso planeta. mais a accção de campanha ideal que lhe caiu no colo.

enfim, uma lástima. ao nível daquela inenarrável madrugada em que deram os prémios todos e mais alguns que não existiam ao ex-badocha do señor de los anillos.


conclusão:
temos que ser todos amigos do ambiente.
para o ano, por favor, seinfeld ou alguém com piada a apresentar aquilo.
enquanto me lembrar vou voltar a dizer que para o ano não vejo. provavelmente esqueço-me antes do verão.
o clint não ganhar o que quer que seja é injusto. sob qualquer prisma.
vota hilary.



ah, as mamas da beyoncé salvaram a noite.

9 Comments:

nuno said...

Vota Stewart '08

nuno said...

notava-se assim tanto o incómodo por haver mexicanos dentro da sala? quer dizer, dentro da sala mas antes dos convivas sairem? notava-se assim tanto a incapacidade daquelas bestas de lidarem com raças diferentes fora do histériópio dela? tipo, ver um ucraniano na PSP, sei lá... notava-se?

o mundo moderno é nojento. e eu vi grande parte da cerimónia no youtube.

M.Ferreira said...

Adormeci ontem a ver o compacto.Que foi à mesma hora do directo, o que faz sentido visto que quem não pôde ver domingo ontem também não, mas é a TVI.
- Apresentadora: sem grandes surpresas, sempre se soube que era uma jogada segura. Espero pelo Conan O´Brien, até lá vou-me rindo é verdade, mas em segurança.
- Scorcese e The Departed: justa escolha, um grande realizador e um grande filme, e isto é certo. Temos de ter sempre em mente os anos em que Ron Howard foi (melhor) realizador ou Shakespear in love (melhor) filme, isso sim anos negros!
- Alan Arkin: grande interpretação, muita justiça.
- O Inarritu deve ter ficado inarritado mas o seu filme incomodava muita gente. Vamos esperar e ver o que faz a seguir(mais mosaicos não).
- Actriz e actor não sei, não vi nenhum dos dois, mas parecem-me escolhas acertadas e capazes.
- não vi os momentos musicais mas o ano passado o Banderas cantou.Há poucas coisas piores do que isso.
- vou acabar de ver no youtube, porque a proxima repetição deve ser as 5 da manhã para aqueles que ainda não conseguiram ver.
- para o ano há mais, aqui há mesma hora.
Abraço

M.Ferreira said...

Duas coisas em falta: à mesma hora e sim é sempre injusto o Clint não ganhar.

M.Ferreira said...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anónimo said...

ah e as mamas da beyoncé salvam qualquer noite

Anónimo said...

ah e as mamas da beyoncé salvam qualquer noite

João Gaspar said...

peixeiro,
não houve assim tanta atenção da minha parte para ver esse incómodo na sala. mas a julgar por quem pôs a mão na massa... (mais vale um italo-americo do que um mexicano)

miguel,
o banderas o ano passado cantou, por assim dizer, uma das música mai bónitas do mundo, caralho.
e se há coisas piores do que isso, de certeza que a celine dion aos gritos é uma delas.
tenho a impressão que não deixam o conan apresentar aquilo.
anos negros foi quando ganhou o denzel e a hale berry (desculpa a piada fácil).


abraços.

(um gajo tira a moderação e até comments apagam, ah cacete!)

ivan said...

iria mais longe...
mamas... simplesmente mamas... salvam sempre a noite.