quarta-feira, abril 04, 2007

leaving on a jetplane

as relações são como uma viagem de avião.

o bilhete é caro. os voos low-cost não garantem a mesma qualidade. após o check-in há um tempo de espera absurdamente longo até começar a parte divertida. na partida, há uma mistura de sensações de insegurança e excitação inicial. quando finalmente se atinge a altura máxima o mundo parece maravilhoso visto dali. passado um tempo, torna-se tudo mais monótono e só uns poços de ar e a sensação de perigo associada apimentam a coisa. no final, o tédio instala-se e é uma questão de esperar pacientemente pelo fim. à saída, vamos para a zona do nada a declarar (um ao outro). invariavelmente, há bagagem extraviada.

2 Comments:

Filigraana said...

Realmente, tudo serve de metáfora para a vida. Até a própria vida serve de metáfora para a vida, quanto mais.

Mas independentemente disto, o post é muito bom.

João Gaspar said...

hum... ando a pensar em algo que não sirva de metáfora para a vida, mas às tantas não há mesmo.

e tenho-me lembrado de óptimas metáforas, mas de péssimos posts ;)

(o que não é, de modo algum, critério para não se tornarem posts efectivos)