segunda-feira, setembro 15, 2008

sobre a irreversibilidade

reatar namoro com ex-namorada é como querer recuperar o gás da coca-cola.

5 Comments:

Catarina said...

Uma vez disseram-me que é como ir ao McDonald's: sabes que faz mal mas vais lá na mesma.

menina limão said...

please. o meu sentido de humor não chega a tanto, lamento.

João Gaspar said...

isto não era humor. era um prefácio de ensaio sobre a irreversibilidade. e, até prova em contrário, uma verdade indesmentível.

menina limão said...

exactamente por ser um ensaio sério é que disse o que disse. felizmente a situação que descreveste não é um bom exemplo de irreversibilidade. porque achei absurda a generalização e a regra imposta ao assunto em questão, é que te disse que nem tentando ler com sentido de humor o consigo aceitar.

João Gaspar said...

todas as generalizações são absurdas, partamos daqui.

esta, além de absurda, acho que é verdadeira. na verdade, o ser ou não verdadeira é acessório. mas se não for absoluta, diria que será o caso mais vezes verificado. reatar namoros já (quase) todos tentámos, normalmente com o mesmo grau de eficácia de soprar e fazer bolhinhas na coca-cola.

não que interesse muito, uma vez que isto está escrito e vou defender até ao fim (incoerência após incoerência, se for preciso), mas eu tinha isto rascunhado à mão num caderno e rezava assim na versão original:

"sobre a irreversibilidade: é como querer recuperar o gás da coca-cola."

[também prefiro esta versão]


mas ao meter num post, quis um exemplo e este foi o primeiro que me apareceu.


ainda assim, se reatar namoro não tem uma taxa de insucesso de 100% andará lá próximo. a inexistência de estudos científicos que comprovem esta minha tese atesta a inutilidade dos estudos e a obviedade (isto existe?) da tese.
;)



ao reatar namoro com ex-namorada passa a poder chamar-se ex-ex-namorada?