quinta-feira, junho 28, 2007

com o pé na argola

apesar de ultimamente as minhas leituras andarem demasiado contaminadas com linguagem mais ou menos científica que, se não se importam, vou por ora ignorar, vou tentar não ser eu a quebrar a corrente com que o pedro vieira me atou e lembrar-me dos últimos cinco livros que estes dois que a terra há-de querer comer mas o forno não vai deixar tiveram o prazer de ler.
então cá vai, sem qualquer critério de qualidade ou bom gosto, por ordem cronológica ao contrário, que é como quem diz, de ontem para anteontem.


o sonho dos heróis, adolfo bioy casares.
e se eu gostasse muito de morrer, rui cardoso martins.
antologia poética, ian curtis.
o animal moribundo, philip roth.
o poder dos sonhos, luis sepúlveda.



um gajo percebe que anda mal quando se esforça para se lembrar das últimas cinco leituras não forçadas. um sinal que embora deprima pode ser o ponto de viragem, assim à laia de horóscopo.
ainda para mais quando a lista dos próximos cinco está completa, à espera na estante ao lado, paga e facturada a vinte e não sei quantos de iva. à espera que o tempo lhe sacuda o pó.



como ainda por cima o pedro me poupou o trabalho de dois ou três links, sobra-me corda que estendo ao nuno, ao miguel, à pimpinela, ao samuel e à cinco sentidos. salve-se quem puder.

4 Comments:

nuno said...

já vai. deixa-me só parar de consumir álcool de forma desenfreada. amanhã, talvez. :)

cs said...

ui...moi? je?..não posso quebrar a cadeia

até e depois férias

Samuel said...

Respondo com muito gosto, até coincidimos no bioy casares. Amanhã sem falta. Cumps!

nuno said...

demorei muito, foi? já tá!