segunda-feira, setembro 22, 2008

fui ver as gravuras rupestres de foz côa e acho que aquela malta não tinha muito jeito para o desenho.

vi ontem na sic (não, não estava em casa) um aglomerado de clichés a que pretensiosamente denominaram reportagem sobre acompanhantes de luxo. entre cada cliché, tanto profissionais como clientes repetiram à exaustão que não se trata de sexo. ou que não se trata só de sexo. que não há obrigatoriedade de sexo. um dos clientes entrevistados chegou a dizer (com visível auto-orgulho) que passou uma noite inteira com uma acompanhante sem sexo, só a falar de política e futebol. e que não interessa só sexo, que muitas vezes as acompanhantes são contratadas para companhia em jantares e viagens. que se pague para ter sexo, compreendo perfeitamente. agora que se pague para aquilo que um homem tem que suportar até ter sexo, não faz sentido nenhum.

5 Comments:

Cromossoma X said...

nada menos estimulante que um homem que nao saiba dizer uma linha. Podes pagar o que quiseres por sexo, mas aquele "bem lubrificado" nao se paga, exerce-se. mas, claro, ha sempre os fas da vaselina...

João Gaspar said...

provavelmente sou um gajo muito básico, mas pagar para passar uma noite a falar de política e futebol? não entendo.

não consigo mesmo é perceber a reiteração na tecla "isto de pagar a uma acompanhante de luxo não tem a ver com sexo" (quando tem, claro que tem), como se pagar para ter "só" sexo fosse uma coisa má, mas pagar para ter uma conversa amena sobre política e futebol e depois sexo já fosse uma coisa boa e motivo de orgulho.



isso da vaselina é o nome moderno para cuspo, não é? ;)

(desculpa o aporcalhamento da coisa. num dia assaltaram-me a casa e no dia seguinte fui ver as gravuras rupestres de foz côa, estou em período de convalescença).

abraço para a ilha! ;)

FuckItAll said...

Partilhando da tua falta de pachorra para o discurso "higienizante" do "não tem nada que ver com sexo" (mas a lei também reforça a necessidade dessa conversa, não é?), deixa dizer-te que conheço vários homens que são viciados em companhia feminina - companhia mesmo, cumbersa, e o sexo é de facto secundário.
Há também o caso inverso aquele de que falas: conheço quem assumidamente pague a prostitutas propriamente ditas por algum tempo da tal companhia. A possibilidade de sexo é um plus? É. Mas também é um bom pretexto, às vezes. Percebes, pagar para foder é de homem, pagar para ter companhia é de menina...

João Gaspar said...

pagar para foder é de homem, pagar para ter companhia é de menina...

é isso mesmo, bela síntese da ideia. ;)

PDuarte said...

de homem, é foder e ficar à espera que a gaja largue a guita.